ARTIGOS

24/06/2011


Em busca da valorização


Tentando acompanhar um momento de crescimento do mercado da Construção Civil no Brasil, a Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Passos se empenha num processo de reestruturação.

Publicado na Folha Revista/Janeiro de 2011

Estima-se que aproximadamente 70% das riquezas produzidas no Brasil são decorrentes de projetos e atividades diretamente ligadas aos profissionais do Sistema CREA/CONFEA. Para se ter uma idéia, segundo dados do IBGE para 2007, em Passos passaram pelas mãos de engenheiros, arquitetos e agrônomos, investimentos da ordem de mais de 670 milhões de reais, considerando apenas a produção de riqueza do município. Se aqui somamos os investimentos do Estado e da União em obras públicas, este número sobre ainda mais.

 Trata-se de um peso econômico que não encontra reflexos no panorama da valorização e representação dos profissionais destas áreas tecnológicas. Seria de se esperar que tendo consciência desta influência, a classe exercesse uma maior participação na condução dos assuntos a elas relacionados e reivindicasse uma maior contrapartida em termos de valorização profissional.

O ano de 2010 traz boas previsões para o Brasil, sobretudo na área da construção civil. É um momento mais que propício para trazermos à tona a discussão sobre a valorização profissional de engenheiros, arquitetos e agrônomos. Embora muitos entendam que esta empreitada seja de responsabilidade do CREA, no próprio site do órgão já encontramos informações de que isto é atribuição das associações de classe; segundo suas atribuições o CREA é um órgão destinado estabelecer as atribuições de cada profissão e a proteger a sociedade da atuação dos profissionais que não estejam em conformidade com a legislação estabelecida. Mas a defesa dos interesses dos profissionais deve ser feita pelas associações, para as quais o CREA disponibiliza várias formas de suporte, inclusive financeiro.

Desta forma, fica claro que o resgate da valorização profissional e o restabelecimento de sua importância no cenário econômico local e regional deve passar pelo fortalecimento de nossa associação de classe. Cientes desta necessidade, há vários meses, alguns profissionais ligados à AEAAP (Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Passos) formaram uma comissão, que se incumbiu de reestruturar e reabilitar legalmente a entidade, e num segundo momento, de criar um Fórum que reunisse várias entidades ligadas ao assunto.

 Com a idéia de partir do zero, repensando toda a organização da Associação, o grupo começou a se reunir em 26 de maio de 2009. Foi criado um blog público, disponível em no endereço www.aeap-passos.blogspot.com, e desde a primeira reunião estão publicadas ali todas as atas das reuniões realizadas, bem como várias opiniões e enquetes sobre vários temas. Embora não tenha tido uma divulgação maciça, uma vez que tinha, sobretudo, a função de ferramenta de trabalho, o blog registrou neste período mais de 1.000 acessos, de várias regiões do Estado e do País e resultou em intercâmbio bastante interessante.

A reestruturação da Associação baseou-se em conceitos de gestão estratégica, que orientou a formulação de um novo conjunto de missão, visão e valores, culminando na definição de uma nova estrutura organizacional e na reforma do estatuto, concluída na última reunião de 2009.

O cerne das modificações que estão sendo sugeridas para a Associação, agora denominada AEAP, é a valorização profissional, através da efetiva participação de cada classe nas suas atividades, trabalhando para garantir a sustentabilidade financeira da entidade, para que hajam recursos para serem aplicados em benefícios aos associados e em programas de educação continuada. Foram incluídos no novo Estatudo diversos artigos para garantir que a AEAP não se transforme em instrumento político-partidário, bem como um funcionamento que promova a continuidade administrativa, através de um planejamento estratégico de longo prazo ligado aos Planos de Ação de cada nova gestão.

Em breve, deverá ser retomada a pauta de reuniões para que se defina o processo de apresentação do trabalho ao conjunto dos profissionais filiados à AEAP para que se proceda á regularização dos associados e a aprovação do novo Estatuto.

Neste momento, é imprescindível que cada profissional ligado ao sistema CREA/CONFEA se conscientize que os benefícios advindos deste fortalecimento trarão ganhos extremamente relevantes. Para cada profissional, para a classe e para a sociedade como um todo.

Outros artigos

A/ZERO ARQUITETURA © 2013